Segredos dos aprovados nos testes físicos

Depois de mais de 25 anos envolvido com testes físicos, tanto na realização quanto na avaliação, resumi abaixo o que realmente faz a diferença para a aprovação nos TAF.

1. Prepare-se com antecedência. Um dos maiores erros é o candidato deixar para se preparar apenas após a notificação da aprovação intelectual. O tempo médio entre a notificação da aprovação intelectual e o TAF é de 3 a 6 semanas. Esse tempo é muito curto para uma preparação ideal. Sabemos que um tempo razoável de um treinamento físico para concurso é de 12 semanas, com a finalidade do desenvolvimento das capacidades físicas do aluno. Pasmem: já recebemos alunos que queriam iniciar os treinos faltando apenas 5 dias para os testes! Adivinhem o resultado!

2. Procure especialistas no assunto. Outro grande erro é o aluno achar que o teste é de fácil realização e deixar de lado o treino bem planejado. O aluno procura ajuda profissional somente nos dias que antecedem o teste. No entanto, esse prazo fica mais curto ainda.

3. Um dos maiores vilões dos TAF é o teste em barra fixa. Sem dúvida, a barra é a que mais reprova. Em alguns concursos, é exigida a execução da flexão na barra para ambos os sexos. Em outros concursos, ela é exigida apenas para o sexo masculino. Pela grande falta de prática desse exercício por parte dos candidatos, a execução desse teste torna-se extremamente difícil. Por isso, é de fundamental importância o candidato iniciar com antecedência o treinamento correto e bem planejado para esse teste, bem como um programa de redução da gordura corporal, para que seja facilitada a subida na barra.

4. Outra pedra no sapato dos candidatos é o teste de corrida de resistência. Dependendo do edital, esse teste consiste em percorrer uma distância mínima em 12 minutos ou um tempo mínimo na prova de 2.400 metros. Como esse teste está sempre presente nos editais, ele deixa muitos candidatos preocupados. Para melhorar o desempenho nesse teste, não basta sair correndo sem o controle de algumas variáveis do treinamento. O candidato precisará não somente do componente da via aeróbica. Embora muitas vezes negligenciada, a via anaeróbica também é importante nesse teste. Dessa forma, com base em estudos científicos, um dos métodos de treinamento que mais promovem a melhora do rendimento na corrida é o TREINO POLARIZADO, através da periodização de alto volume com alta intensidade semanal.

5. Treine regularmente e adequadamente. O segredo para a aquisição da famosa aptidão física exigida é a regularidade aliada a um plano de treinamento bem periodizado. Essa dica parece óbvia, mas muita gente não consegue manter a regularidade dos treinamentos por motivos diversos, como: falta de tempo (muitos trabalham e estudam o dia inteiro); falta de área para treinar; falta de um plano de treinamento adequado; não visualização de melhoria de rendimento, entre outros.

6. Respeite o tempo para descanso do corpo. Saiba que os ganhos fisiológicos acontecem no treino bem realizado, mas principalmente no descanso. O treino demasiado, além de não promover os ganhos necessários, pode fazer com que o aluno se lesione e não consiga realizar as provas adequadamente nos dias do TAF. O problema é que muitos deixam para treinar em um espaço de tempo curto para o TAF. E, para correr atrás do tempo perdido, acham que o treino em demasia compensará esse atraso.

7. Treine de forma específica. Treine sem firulas. Parece lógico, mas observamos que muitos treinam de forma errada e, muitas das vezes, nem tocam na barra. Estude bem seu edital. Leia todas as entrelinhas que detalham a execução dos testes físicos previstos em seu concurso. Veja qual a sequência dos testes, qual é o primeiro teste. Saiba o horário (manhã, tarde). Veja qual a duração de intervalo entre cada teste. Isso faz muita diferença.

8. Faça simulações. Quando já estiver adaptado ao treino, faça simulações do TAF que você irá enfrentar. Prepare seu corpo e sua mente como se fosse um dia real de prova.

9. Não invente na semana do TAF. Cuidado com as “dicas” de “amigos”. Muitos estão desesperados e leram ou ouviram que comer tal alimento, ou ingerir tal “pílula ou pó mágico” fará com que “voem” nos testes. Cuidado. Seu organismo pode reagir de forma negativa, e você poderá passar mal. Não existe nada que fará seu corpo ter um melhor desempenho do que o treinamento físico regular bem planejado.

10. Cuide de sua alimentação. Um dos maiores fatores que prejudicam a aptidão física é o excesso de peso. O candidato sofre muito mais ao carregar o excesso de peso em inúmeros testes físicos, como corrida de 12 minutos, flexão na barra, flexão abdominal, Shutte Run, meio sugado. Aliando os exercícios físicos bem planejados com uma alimentação saudável, a redução da gordura corporal facilitará um melhor desempenho. Portanto, cuide de sua alimentação. Caso sinta necessidade, procure um profissional de nutrição esportiva.

11. Não economize na sua preparação física. Invista em materiais esportivos adequados para a prática da atividade física. Além de melhorar sua performance, também evitará lesões. Exemplos: um tênis adequado para corrida, vestimentas leves (shorts, bermudas, camisas dryfit etc.), garrafinhas de água para hidratação. Se você não economizou em livros e cursinhos para a sua aprovação intelectual, por que economizar agora?

12. Treine, de preferência, em horários de sol baixo (início da manhã ou final da tarde). Evite treinar com o sol a pino para evitar os efeitos negativos do calor, pois, além de não render no treino, você poderá passar mal. Além disso, em cidades com altos índices de umidade relativa do ar, os efeitos com a combinação de alta temperatura podem ser letais devido à baixa capacidade de evaporação do suor e eliminação do calor.

Bons treinos!
E lembre-se: você não precisa treinar muito. Você precisa apenas treinar certo.

Professor César Marra – CREF 1542/G – DF
Especialista em Fisiologia do Exercício
Mestre em Educação Física
Doutor em Saúde Pública


O Gran Cursos Online, em parceria inédita com a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal e sua Escola Nacional dos Delegados de Polícia Federal (EADelta), elaborou e têm a grata satisfação em informar à comunidade jurídica adepta a concurso público, mormente para a carreira de Delegado de Polícia, que estão abertas as matrículas para os cursos preparatórios para Delegado de Policia Federal e Delegado de Policia Civil dos Estados e DF, com corpo docente formado em sua maioria por Delegados de Polícia Federal e Civil, mestres e doutores em Direito, com obras publicadas no meio editorial, além do material didático. Não perca a oportunidade de se preparar com quem mais aprova em cursos há 27 anos. Matricule-se agora mesmo!

Matricule-se!

Escrito por
Mais de César Marra

Dores nos joelhos em mulheres (condromalácia). O que fazer?

Um dos problemas de quem está treinando para o TAF são as...
Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *